Gabrielle Yuri Sasaki e Silva

Tuesday, November 22, 2011

O Gatinho no Asfalto

 

gatinho no asfalto

Onde outrora haviam miados

E ao luar inúmeros chiados

Profundos e agudos

Quase uma canção

 

Outrora felpudo e fochucho

Quentinho e peludo

Talvez muito amado

Ou um azarado gatão

 

De uma carcaça vazia

Ele não mais existia

E no seus olhos somente havia

 a mais profunda escuridão

 

A vida de um bichano desolado

Outrora cheia de significados

Com todos seus altos e baixos

Agora bem baixo…

da roda de um caminhão

 

Somente uma carcaça no chão

 

Por Gabrielle Yuri Sasaki e Silva

Labels: , ,

Tuesday, October 04, 2011

FEMINISMO: EUFEMISMO PARA RADICALISMO?

Autora: Gabrielle Yuri Sasaki e Silva
Nascida em 03/12/1997


A terceira lei de Newton diz que ‘A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: ou as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em direções opostas’. É interessante observar que esta máxima se aplica também às relações humanas e fenômenos sociais, dos quais citamos, o liberalismo que surgiu como resposta aos sistemas absolutístas e monárquicos, o anárquismo que surgiu (em última análise) como contraponto de um modelo político burocrático e imobilizador e o feminismo, como movimento de réplica a um sistema machista e desigual de classificação pelo sexo do indivíduo em determinada sociedade.

A busca pela igualdade feminina é um fenômeno global, em variados estágios de evolução em diversas culturas e sociedades; Das infimas conquistas no sistema muçulmano no oriente médio para um modelo completamente igualitário e justo em países como Suiça e Dinamarca, tal fenômeno adquiriu contornos de movimento político/social a partir do final do século XVIII e começo do Século XIX. Vários foram os fatores que facultaram o feminismo que, viabilizado pelo iluminismo, fortaleceu-se com o advento da Revolução Industrial, movimentos de libertação , procura por maior igualdade social e maior acesso à cultura e educação.

No Brasil , embora existam registros de manifestações pelo direito ao voto e emancipação feminina no século XIX – principalmente por influência dos movimentos nos Estados Unidos e Europa – o movimento feminista tomou força na década de 60 em razão de um grande número de fatores, dos quais os mais importantes foram o questionamento do sistema construído sobre a mulher na sociedade, a luta conta a ditadura militar na mesma época de criação do “Movimento Feminino pela Anistia” e o “Centro da Mulher Brasileira”. A partir de 1975 o feminismo ganha força em território nacional, criando instituições que discutiam temas antes evitados por força da igreja católica, como a ‘sexualidade’, o ‘aborto’, o ‘planejamento familiar’, entre outros… É fato que para a Igreja Católica, que guarda à mulher o papel de ‘pedaço de costela’ que ‘conduziu o homem’ ao pecado, o feminismo era (e ainda é) um movimento bastante negativo. Neste contexto é interessante observar que vivemos no maior país católico do mundo.

Não obstante o movimento feminista se ampliou e, a partir de 1979, palestras e movimentos começaram a surgir para discutir o papel da mulher na sociedade, ampliando os seus direitos. Desde então, cada vez mais, as mulheres tem ampliado seu papel no cenário nacional; Tendência que recentemente se consolidou com a eleição de Dilma Rousseff, a primeira presidentE do Brasil.

Ocorre que, como em muitos movimentos de contestação o feminisno radicalizou-se e adquiriu contornos de bandeira ideológica que separou ainda mais os sexos; Muitas vezes retirando das mulheres características que as identificam e fortalecem, matando a feminilidade inerente a sua natureza. Masculinizando-as para um mundo que, ideologicamente, não deveria ser dividido em sexos, mas na exautação das virtudes características de cada indivíduo.

Um exemplo atual da radicalização do feminismo foi um artigo da Época, escrita por Ruth de Aquino no dia 3 de outubro de 2011, em que a autora comentou sobre a censura feita pela ‘Secretaria de Políticas para Mulheres’ a um comercial em que a Gisele Bunchen retrata a mulher de forma sensual e feminina. Ao proibir a veiculação do comercial, o Governo - além de restringir a liberdade de expressão - aumentou ainda mais o preconceito para com as mulheres. Então fica a pergunta: Até que ponto a liberdade não vira repressão?

Nos parece óbvio que o feminismo foi um movimento de resposta para uma sociedade machista, sectarista e desigual. Mas é igualmente verdadeiro que, como movimento antagonico, o feminismo trouxe uma série de aspectos negativos à mulher e ao próprio conceito de feminilidade… Potencialmente tão negativo quanto o machismo, na mesma intensidade mas em sentido contrário. Exatamente como na terceira lei de Newton.

Thursday, September 17, 2009

Cidade Encantada

Poema por Gabrielle Yuri Sasaki e Silva
Criado como atividade para o Colégio Medianeira
6ª Série - C / Professora Rosana

Cidade Encantada



Tantos lugares bonitos
Tantas terras mágicas

E uma brisa suave
Acaricia o rosto dela
Assim como o Sol
Aquece sua suave pele

Morros e montanhas
Formam pessoas e animais
Dando mais encanto
Para a terra encantada

Dentro da cidade
A cultura permanece
Firme e forte
Como o Morro
Do Cachorrinho

Ahhh!!! Morretes
Cidade tão bela
Cidade tão mágica
Uma caixinha de surpresas.

http://www.nundiaquara.com.br/images/morretes_03.jpg


Sunday, June 21, 2009

Apresentacao Ginástica Rítmica Gabrielle Yuri Sasaki Silva





Gabrielle antes da apresentacao de ginástica Rítmica



Friday, April 10, 2009

Gabrielle e seu segundo morango


A Gabrielle exibe, orgulhosa, o segundo morango que nasceu da plantação que ela fez.

Posted by ShoZu



Saturday, March 28, 2009

28032009102


Posted by ShoZu



Friday, March 27, 2009

Gabi e mamãe no Nakaba


Posted by ShoZu